top of page
Search
  • Campeonato Portugal Velocidade

Leitura de fim-de-semana: Guillermo Aso – a minha paixão começou quando tinha 4 meses






Dificilmente Guillermo Aso poderia fugir ao automobilismo, dadas as suas ligações, sendo uma paixão que nasceu praticamente com o piloto espanhol que este ano disputa pelo terceiro ano consecutivo o ibérico Supercars Endurance, sendo um dos seus protagonistas.



Guillermo Aso estreou-se na mais importante competição da Península Ibérica em 2021 e rapidamente se mostrou um candidato aos lugares do pódio, emprestando às lutas em pista a sua paixão, que surgiu ainda em tenra idade.



Seria muito complicado que o piloto de Aragão pudesse passar ao lado do desporto automóvel, dado que em casa a competição de quatro rodas era já um tema central. “O meu interesse pelo desporto automóvel começou quando tinha quatro meses, uma vez que acompanhava o meu pai, que fazia ralis e rampas, tendo no início competindo também em circuitos. Foi assim que teve o início a minha paixão pelo automobilismo”, afirmou Guillermo Aso, que este ano disputa o Supercars Endurance aos comandos de um Mercedes-AMG GT4 da NM Racing Team, que divide Gilles Vannelet.





No entanto, apesar do automobilismo fazer parte da sua vida desde tenra idade, foi muito tarde que o espanhol começou a dar os primeiros passos no desporto em que vivia desde sempre. “Comecei a minha carreira no desporto automóvel um pouco tarde, de acordo com os padrões actuais, tinha vinte e um anos, e optei pelos ralis. Foi em 2001 que me estreei no troféu Inter-regional FIAT Punto, e em 2004 passei para o campeonato regional de ralis, primeiro com um Mitsubishi Lancer Evo VII e depois com um EVO X”, revelou Guillermo Aso.



Inicialmente, o piloto de Aragão seguiu os passos do seu pai no automobilismo, mas acabou por não resistir ao apelo da competição de pista, passando para a categoria em que o seu progenitor deu os primeiros passos no automobilismo. “Em 2016 passei para os circuitos, entrando no Campeonato de España de Resistência com um Renault Clio e depois passei para um Cupra TCR. Tive como melhor resultado no campeonato um quarto lugar, por duas vezes. Para além disso, venci os 500 km de Alcaniz e participei por duas vezes nas 24 Horas de Nurburgring, o que é uma experiência fantástica. Em 2021 entrei no Supercars Endurance com o McLaren 570S GT4 da SMC Motorsport”, apontou o espanhol.


Ao fim de seis épocas na Velocidade, foi com naturalidade que Guillermo Aso deu um passo em frente na sua carreira, chegando ao Supercars Endurance, onde passou a ser um dos seus protagonistas. “Já há alguns anos que participava no Campeonato de España de Resistência e queria dar o salto para uma competição mais internacional e sem poder competir nas GT4 European Series, devido à falta de tempo e de budget, decidimos abraçar o projecto com o McLaren da SMC Motorsport no Supercars Endurance em 2021, continuando em 2022, e este ano com o Mercedes da NM Racing Team”, justificou.



O sabor internacional da competição foi a motivação para que Guillermo Aso desse o passo para o campeonato mais importante da Península Ibérica, mas uma vez integrado na caravana, percebeu outras qualidades, muito embora aponte margem de progressão. “É um campeonato em evolução, em crescimento, em número de inscritos e no nível de competitividade. Digamos que é um campeonato com um nível intermédio entre uma competição espanhola e europeia. Penso que, nesse sentido, os objectivos foram cumpridos, uma vez que tem um nível mais internacional e de maior competitividade. Talvez lhe falte mais uma prova em Espanha, uma vez que quatro eventos é um pouco escasso. Seria interessante ter três provas em Espanha e cinco ou seis eventos por ano. O nível é bom, é alto, e é um passo intermédio relativamente às GT4 European Series”, apontou o espanhol.



A temporada deste ano não tem corrido da melhor a forma ao espanhol, que faz equipa com Gilles Vannelet aos comandos de um Mercedes-AMG GT4 da NM Racing Team.



Com dois eventos disputados, no Algarve e em Jarama, Guillermo Aso está no quinto lugar da competição de pilotos da classe GT4 Pro, com 51 pontos. Diversas contrariedades têm atrasado a dupla do carro de Estugarda. “Não tenho tido muita sorte no que diz respeito aos resultados e às pontuações relativamente aquilo que penso que posso fazer. Estamos a meio da temporada, faltam ainda duas provas e espero conseguir melhores resultados, estar mais à frente, lutar por pódios e marcar mais pódios. É o que pretendo para o resto da temporada”, afirmou o espanhol com algum desencanto. No entanto, o pódio conquistado na primeira corrida de Jarama demonstra que o potencial existe e que, se algumas arreliadoras contrariedades forem evitadas, será preciso contar com dupla do Mercedes-AMG GT4 da NM Racing Team na luta pelas posições cimeiras.



Guillermo Aso mostra-se confiante e apostado em manter a tendência iniciada em Jarama. “Quero terminar no pódio do campeonato, esse é o nosso objectivo! Mas existem alguns obstáculos para ultrapassar, dado que todos querem andar à frente. Há muita competitividade, mas no meu caso, o principal problema tem sido as incidências de corrida. Temos tido inúmeros azares nas primeiras voltas que nos atrasaram e isto condicionou os resultados. Sem estes inconvenientes, estaríamos melhor classificados no campeonato”, concluiu com confiança o piloto espanhol.



A paixão de Guillermo Aso pelo automobilismo nasceu cedo e tem sido o combustível para uma carreira de mais de vinte anos e será esse o combustível de que precisa para recuperar de um início difícil e colocar-se na luta pelas posições do topo da classificação.



A próxima etapa do Supercars Endurance realiza-se em Jerez de la Frontera, entre os dias 20 e 22 de Outubro, e este poderá ser o palco da confirmação da recuperação do piloto espanhol.










29 views0 comments

Comments


bottom of page