top of page
Search
  • Campeonato Portugal Velocidade

5 factos que marcam a temporada




Quando estamos no hiato estival da temporada do ibérico Supercars Endurance e Campeonato de Portugal de Velocidade olhamos para a primeira metade do ano e procurámos que cinco factos que se destacaram.




Número de inscritos cresce


O Supercars Endurance e o Campeonato de Portugal de Velocidade têm vindo a crescer nos últimos anos e em 2023 o interesse que gerou teve como consequência o aumento considerável do número de inscritos, passando de uma média de 15 participantes por prova em 2022 para 22 esta temporada.


Se excluirmos a etapa de Vila Real, que conta apenas para a competição nacional, a média deste ano sobe para uns impressionantes 26 carros por evento.


Estes números representam um incremento de mais de 65%, sublinhando o trabalho que a organização do Supercars Endurance e Campeonato de Portugal de Velocidade tem vindo a realizar, seduzindo pilotos e equipas de Espanha e Portugal, mas não só, havendo equipas e/ou pilotos oriundos da Inglaterra, Eslovénia, Finlândia, França, Ilhas Maurícias e Lituânia.




Novos carros fortalecem grelhas e partida


Com o crescimento impressionante das duas competições organizadas e promovidas pela Race Ready, são muitos os novos carros que compõem as grelhas de partidas deste ano.


O modelo mais representado é o Mercedes-AMG GT4 com cinco unidades em competição em 2023.


Em 2022 a Lema Racing colocava um destes carros em pista, acabando por permitir a Manuel Gião e Elias Niskanen consagrarem-se campeões da GT4 Pro, mas esta temporada a formação eslovena inscreve mais um, a NM Racing Team coloca dois em pista e a Racar um.


Mas se a máquina alemã não era propriamente uma novidade, o Aston Martin Vantage AMR GT4 que a Araújo Competição inscreve para Álvaro Ramos e Fernando Soares é uma estreia nas competições, dando ainda maior exotismo às corridas.


A BMW é outra marca que este ano está representada nas grelhas de partida e com a participação de dois M4 GT4, ainda que de gerações distintas.


A Speedy Motorsport assegura um novíssimo G82 (a geração mais recente) para José Carlos Pires e Francisco Abreu, o passo que a Batina Racing compete com um F82 (geração anterior) dividido por Sérgio Azevedo e Orlando Batina, que já demonstraram competitividade com a subidas ao pódio.


A marca bávara tem ainda em pista um BMW240i Racing da Autoworks Motosport com o qual Borja Hormigos e Héctor Hernández têm vindo a evidenciar muita competitividade na classe TC.


Para além de todos estes carros, estão já em Portugal mais duas grandes máquinas – o Aston Martin Vantage AMR GT4 que a Araújo Competição inscreverá para Ruben Vaquinhas e o BMW M4 GT4 (G82) que a mesma equipa apresentou em Vila Real.


Todos estes novos carros demonstram que as equipas e pilotos confiam na organização e no futuro do Supercars Endurance e do Campeonato de Portugal de Velocidade.






Classes promovem competitividade


No início do ano a organização alterou a estrutura de categorias e classes das duas competições no sentido de encontrar uma forma de garantir maior competitividade.


A aposta parece ganha, uma vez que em todas as classes se tem verificado grandes lutas, deixando a questão do título em aberto em todas elas, quando estamos a meio da temporada.


A estrutura deste ano tem ainda a vantagem de permitir a pilotos de diferentes experiências entrar no Supercars Endurance e Campeonato de Portugal de Velocidade e ter um objectivo competitivo e até mesmo chegar ao pódio ou lutar pelas vitórias das respectivas classes.




Olhar para o futuro


No início do ano a FPAK anunciou que esta temporada o seu Junior Team teria também presença nas pistas ibéricas com o objectivo de permitir a jovens pilotos o seu primeiro contacto na Velocidade e encontrar talentos para o futuro.


A entidade federativa inscreveu três Ginetta G40 que são divididos por Mariana Machado, Duarte Pinto Coelho, Duarte Camelo, Gabriel Caçoilo Henrique Cruz e Lourenço Monteiro, quem vindo a mostrar o seu valor em pista.


Os jovens pilotos têm vindo a evidenciar muita competitividade aos comandos do irreverente GT britânico, garantindo que o talento continuará a fazer-se sentir nas pistas ibéricas nos próximos anos.





Mais público e TV


O interesse suscitado pelas competições organizados pela Race Ready tem vindo a aumentar não só entre os pilotos e equipas, mas também entre os adeptos.


Nas primeiras provas da temporada as transmissões das corridas através das redes sociais aumentaram em número de espectadores, o mesmo se passando com a quantidade de seguidores nas redes sociais.


Mas ainda mais importante é o incremento de número de adeptos que se deslocam aos circuitos para seguir as corridas do Supercars Endurance e do Campeonato de Portugal de Velocidade.


Na prova de Jarama foram vinte uma mil pessoas que se juntaram no circuito espanhol para seguir as provas da competição mais importante da Península Ibérica, ao passo que Vila Real encheu para as corridas cabeça de cartaz da 52ª edição do evento.


Para além disso, as corridas são também transmitidas na A Bola TV com o intuito de chegar a mais gente e cativar o adepto ocasional, alargando o alcance das competições.

103 views0 comments

Comentários


bottom of page